José: Quando o "e se" limita por completo uma vida | Eu Dou a Cara

Um medo de morrer constante que se tornou um entrave.

O José vivia constantemente com o “e se” na cabeça. “E se eu tiver um aneurisma?”, “E se eu tiver um acidente?”. Todos estes pensamentos faziam com que tivesse Ataques de Pânico. Estas crises eram tão fortes que acabava mesmo por desmaiar. A verdade é que depois do primeiro, todos os outros vieram acompanhados de uma Ansiedade prévia. 

Este jovem vivia em completo sobressalto. Recorreu à médica de família, fez todos os exames possíveis e tudo estava bem. Pelo menos, a nível físico. Contudo, a saúde é muito mais do que exames e doenças físicas. Existe um bem essencial que sem ele não conseguimos estar bem: a Saúde Mental. 

 O José nunca desistiu de si e por isso recorreu a ajuda psicoterapêutica de forma a resolver de uma vez por todas, os medos que atormentavam a sua vida. Hoje, feliz e tranquilo, dá a cara por este tema tão importante e ainda tão estigmatizado. 

Ansiedade

A Ansiedade é caracterizada por um sentimento de tensão, preocupação e medo. É importante referir que a Ansiedade é um estado mental e emocional normal e útil ao ser humano, mas quando sentida sem uma razão aparente, ou de uma forma excessiva e continuada, torna-se num problema de saúde, ou seja, numa doença psicológica. 

Falamos de Ataques de Pânico quando sentimos ansiedade extrema, que provoca sensações físicas tão fortes que são equiparáveis à sensação de morte iminente. Os Ataques de Pânico são uma doença psicológica em que se tem medo do próprio medo.

1 em cada 4 pessoas sofre, ou já sofreu, de perturbações emocionais. Contudo, raramente partilham a sua história. O estigma é ainda gigantesco e por isso nasceu este projeto. Convidamos todos aqueles que superaram uma perturbação emocional a contar a sua história. A Dar a Cara.

Comentários