PERTURBAÇÕES PSICOLÓGICAS EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Perturbações Psicológicas em
Crianças e Adolescentes

As perturbações psicológicas nas crianças e nos adolescentes podem traduzir-se pelos conflitos emocionais que lhes trazem mal-estar e infelicidade. Existem três importantes fatores que condicionam a gestão destes conflitos e consequentemente o seu bem-estar psicológico: Fatores Biológicos, Ambientais, Emocionais. É importante que os pais e os educadores estejam sensibilizados e alerta para estas questões, de modo a despistarem e intervirem precocemente, evitando problemas maiores na idade adulta

sinais a que os pais devem estar atentos

  • A criança está sempre sozinha e não tem amigos
  • A criança verbaliza não gostar de si nem do seu corpo
  • A criança não tem interesse por nenhuma atividade extracurricular
  • A criança tem alterações no padrão de sono
  • A criança tem alterações de apetite
  • A criança não pára quieta, está sempre a mexer ou a fazer qualquer coisa
  • A criança tem problemas de concentração
  • A criança chora frequentemente ou sem motivo aparente
  • A criança tem sentimentos de culpa
  • A criança tem medos constantes
  • A criança sente-se sem força e cansa-se facilmente
  • A criança isola-se o máximo possível e fala muito pouco ou quase nada
  • A criança apresenta sintomas de ansiedade como tremores, taquicardia e dificuldade em respirar
  • A criança tem comportamentos repetidos
  • O rendimento escolar da criança baixa, sem motivo aparente
  • A criança irrita-se com facilidade​

Causas

Biológicas

A condicionante genética pode influenciar a fisiologia e o funcionamento do cérebro e, consequentemente, levar a alterações comportamentais e relacionais. Estamos a falar, por exemplo, de crianças que sofrem de défices cognitivos, Síndrome de Asperger, Autismo, entre outros. Nestes casos, as crianças que sofrem com estas patologias acabam por ter comportamentos desenquadradas do meio em que estão inseridos, criando conflitos emocionais e infelicidade, não só para elas próprias mas também para os pais.

Ambientais

A personalidade da criança é formada de forma contínua, desde os primeiros anos de vida. O papel dos pais, educadores, grupos de pares e até do meio envolvente é fundamental para esta construção. Quando, ao longo deste processo, ocorrem problemas de bullying, desestruturação familiar, ou diversos problemas relacionados com violência ou agressão, a criança passa por um processo de gestão emocional muito difícil, que nem sempre consegue superar. É comum, nestes casos, que as crianças desenvolvam distúrbios de ansiedade, síndromes depressivos, comportamentos obsessivo-compulsivos e até fobia social.

Emocionais

As experiências vividas na infância e na adolescência têm um peso de tal forma impactante que podem condicionar o comportamento da criança e até mesmo influenciar o modo como vive e se comporta na idade adulta.  A capacidade e a forma como uma criança ou um adolescente interpreta e gere as emoções decorrentes de um determinado evento de vida pode ser limitada e ineficaz. Quando esta gestão não é bem feita, podem desenvolver-se distúrbios emocionais e psicológicos com impacto na vida da criança, futuro adulto. Nos casos mais extremos, podemos estar perante quadros de angústia, ansiedade e até de ataques de pânico.

Tratamento

O primeiro passo para ajudar a criança é aceitar a diferença. Todas as crianças são diferentes, comportam-se de maneira diferente, sentem e expressam-se de diferentes formas. Excluindo quando estamos na presença de doenças neurológicas, onde o uso de psicofármacos é aceitável, em todas as outras perturbações emocionais, os medicamentos devem ser evitados. O uso destes químicos afetam o desenvolvimento da criança, incapacitando-a de viver uma infância feliz, plena de energia e vitalidade.

Os pais e educadores têm um papel de extrema importância na deteção precoce destes comportamentos e no encaminhamento para profissionais de saúde especializados. Também é a eles que cabe o papel de alterar os fatores ambientais e sociais que possam estar na origem destes distúrbios.

De modo a ajudar os pais a desempenhar esta tarefa com sucesso e a ajudar a criança a aprender a lidar com estas emoções, é fundamental um acompanhamento psicológico e uma intervenção psicoterapêutica.

A Psicoterapia HBM vai permitir que a criança identifique as causas e origem dos seus medos e dificuldades e vai dar-lhe ferramentas para que aprenda a ultrapassá-los. Tudo isto é realizado em articulação com os pais, de modo a que estes possam desempenhar o papel parental na sua plenitude.

Perturbações mais comuns nas crianças e adolescentes

  • Distúrbios de Ansiedade
  • Síndrome Depressivo
  • Fobia Social
  • Distúrbios Alimentares
  • Ataques de Pânico
  • Insónia
  • Hiperatividade
  • Défice de Atenção

Artigos recomendados

Mais de 5 milhões de crianças em Portugal estão medicadas com psicofármacos. Até que pondo esta medicação é necessária? Estaremos a condicionar o desenvolvimento das nossas crianças?

O Tomás é um menino de 10 anos que tinha um medo muito grande: da trovoada, do escuro, dos foguetes. Com a ajuda da Dr.ª Joana Correia, os medos do Tomás passaram. É um menino diferente!

A Inês tem 16 anos, é luso-descendente, vive no Luxemburgo. Conheça na primeira pessoa o seu testemunho de superação de experiências de mutilação, medicação, dor, solidão: a “nova Inês”, nas palavras da própria, no seu canal do youtube: BlackBravery.

Perturbações Psicológicas em Crianças e Adolescentes
5 (100%) 53 votes