Angelina: Uma vida repleta de medo, Ansiedade e Depressão | Eu Dou a Cara

Deixar de comer, deixar de sair de casa, deixar de viver. Apenas sobreviver.

Depois de passar por momentos muito complicados de gerir, por um luto que não conseguiu ultrapassar por completo, a Angelina tinha perdido a alegria que outrora a caracterizara. Deixou de conseguiu sair à rua tal era a intensidade dos sintomas. Os Ataques de Pânico tornaram-se uma constante. Sentia uma angústia enorme e uma falta de vontade de seguir em frente. 

A medicação não era uma solução. Fisicamente, o seu corpo não aceitava psicofármacos, o mal-estar era constante e mentalmente não sentia quaisquer melhorias. Angelina não vivia, sobrevivia.

Decidiu pedir ajuda profissional e passo a passo foi melhorando. Acompanhámos todas as vitórias e todo o processo de recuperação. Hoje, Angelina é uma pessoa completamente diferente e dá a cara por algo tão importante: a Saúde Mental. 

ajudar-alguem-com-ataques-de-panico

Falamos de Ataques de Pânico quando sentimos ansiedade extrema, que provoca sensações físicas tão fortes que são equiparáveis à sensação de morte iminente. Os Ataques de Pânico são uma doença psicológica em que se tem medo do próprio medo.

Muitas vezes, a Ansiedade e a Depressão são estados vividos em simultâneo. Mas resta saber: há uma relação de causalidade?

 

1 em cada 4 pessoas sofre, ou já sofreu, de perturbações emocionais. Contudo, raramente partilham a sua história. O estigma é ainda gigantesco e por isso nasceu este projeto. Convidamos todos aqueles que superaram uma perturbação emocional a contar a sua história. A Dar a Cara.

Comentários