Andreia: Tinha Ataques de Pânico tão fortes que não se reconhecia | Eu Dou a Cara

Um corpo "massacrado" por Ataques de Pânico

Mal-estar, enjoos, tonturas… Estes são alguns dos sintomas que a Andreia sentia sempre que tinha um Ataque de Pânico. Estes sintomas tornaram-se tão fortes e recorrentes que a Andreia deixou de se reconhecer.

Tinha medo de conduzir, medo que lhe desse alguma crise, tudo emoções que a limitavam diariamente. Nos momentos em que conseguia estar minimamente bem, focava-se apenas no trabalho e isolava-se da vida social, familiar, ou tudo o que pudesse desencadear estas sensações tão complicadas de gerir.

Apesar de medicada, os Ataques de Pânico intensificaram-se e a Andreia não aguentava mais viver esta perturbação emocional. Procurou ajuda psicoterapêutica, pôs em prática todas as ferramentas que lhe proporcionaram e hoje dá a cara por uma causa tão importante: a Saúde Mental. A verdade é que as perturbações emocionais são, sem dúvida, limitantes mas o essencial é não desistir. A recuperação é um caminho longo, que depende muito de nós e a Andreia continua, passo a passo, a atingir objetivos. 

homem-triste-com-panico

Mas afinal, em que consistem os Ataques de Pânico? Quais são os principais sintomas? Como se trata? Estas são algumas das perguntas que o Dr. Pedro Brás respondeu no Jornal Correio da Manhã.

A Psicoterapia HBM é utilizada no tratamento de perturbações emocionais tais como a Depressão, a Ansiedade e os Ataques de Pânico. Saiba como funciona, em que consiste e de que forma se distingue de tratamentos convencionais.

 

1 em cada 4 pessoas sofre, ou já sofreu, de perturbações emocionais. Contudo, raramente partilham a sua história. O estigma é ainda gigantesco e por isso nasceu este projeto. Convidamos todos aqueles que superaram uma perturbação emocional a contar a sua história. A Dar a Cara.

Comentários