Perturbação Obsessiva Compulsiva: dúvidas e mitos | Porto Canal

Pedro Brás, Diretor e Psicoterapeuta da Clínica da Mente esteve presente no ‘Consultório’ do Porto Canal a falar sobre a Perturbação Obsessiva Compulsiva e a esclarecer as dúvidas e os mitos sobre este distúrbio psicológico. 

Consultório | Porto Canal

O que é a Perturbação Obsessiva Compulsiva?

É uma perturbação psicológica, caracterizada pela existência de pensamentos intrusivos, ou seja pensamentos não voluntários, repetitivos e contínuos. Para minimizar o estado de Ansiedade que os pensamentos geram, muitas vezes, as pessoas com esta perturbação ritualizam comportamentos.

Estes pensamentos intrusivos, andam à voltam dos medos traumáticos das pessoas.

Um medo traumático nasce de experiências agressoras onde o medo sentido é muito intenso e nestes casos frequentemente as pessoas não fazem da melhor forma a gestão emocional.

Medos mais comuns que geram pensamentos obsessivos

  • Medo da contaminação;
  • Medo das doenças e da morte;
  • Medo que “algo” aconteça, a eles ou a pessoas próximas;
  • Medo de ter pensamentos maus;
  • Medo da falta de organização ou limpeza;
  • Medo de ter dúvidas.
É normal ter medos e pensamentos obsessivos. Por exemplo quando temos fome, ou estamos a ter medo de algum animal feroz. Mas o normal é deixarmos de ter esses pensamentos quando o perigo desaparece. Nesta perturbação, mesmo não havendo o perigo real, o medo é constante.

As pessoas que sofrem da POC, não conseguem descansar o seu cérebro, não se conseguem concentrar nas tarefas mais simples e estão em constante estado de alerta.

Medo da contaminação

Obriga as pessoas a não tocarem em determinados objetos ou em pessoas com medo de apanhar doenças ou apenas de ficarem contaminados. Estas pessoas passam muito tempo a lavar as mãos, passam horas no banho, quando chegam a casa tiram a roupa e colocam para lavar.

Medo das doenças e da morte

Estas pessoas têm muito medo de ter uma doença grave, como um AVC, um cancro ou um enfarte. Andam constantemente a verificar a frequência cardíacas, a tensão arterial e qualquer dor ou sinal estranho recorrem logo aos hospitais. É frequente estas pessoas serem chamadas de hipocondríacas. Quando os médicos e as análises mostram que não têm qualquer doença, frequentemente desconfiam e recorrem a segunda opiniões. O sofrimento é real. Esta perturbação acarreta uma Angústia enorme.

Medo que “algo” aconteça, a eles ou pessoas próximas

É muito frequente que as crianças tenham medo que aconteça algum mal às pessoas da família, nomeadamente a morte. Este medo despoleta rituais como tocar em objetos, dizer palavras repetidamente, fazer movimentos repetidos ou organizar objetos de uma determinada forma. Esta ritualização acontece para evitar que o “mal” aconteça.

Medo de ter pensamentos maus

As pessoas com estes medos são as que mais sofrem, pois, ao ter medo dos próprios pensamentos estão sempre a pensar e de uma forma contínua.

Medo da falta de organização ou mania das limpezas

Este tipo de perturbação, muitas vezes, não é diagnosticada porque estamos perante uma pessoa muito organizada ou que preza muito pelas limpezas. No entanto, estes comportamentos tornam-se obsessivos, na medida em que as pessoas não se conseguem libertar dos pensamentos que as obrigam a limpar, muito para além da normalidade.

Medo da falta de organização ou mania das limpezas

Este tipo de perturbação é igualmente limitador, porque qualquer dúvida que as pessoas tenham provoca uma Ansiedade enorme, desaparecendo apenas quando sentem certezas. No entanto, a sensação de certeza é muito reduzida, perante a dúvida. Estas dúvidas constantes obrigam a que as pessoas estejam constantemente a verificar tudo o que fazem. Pode ser a verificar se as portas e janelas estão fechadas ou mesmo no trabalho se as suas tarefas estão bem feitas.

Comentários