Blog

Disfunção Erétil: Um testemunho de superação

A Disfunção Erétil é um problema que afeta milhões de homens, mas que continua a ser vivido quase sempre em silêncio. ‘Filipe’ é um caso de coragem e superação que dá voz a todos estes homens. Conheça aqui o testemunho de ‘Filipe’ no programa ‘Queridas Manhãs’ da SIC, após realizar um tratamento de Psicoterapia HBM.

Disfunção Erétil: Como tratar?

Nem sempre é claro o caminho a percorrer em casos de Disfunção Erétil. A que profissional devemos recorrer? A Impotência Sexual é, na maior parte das vezes, um problema emocional. Saiba qual o tratamento certo. O psicoterapeuta Pedro Brás esteve no ‘Consultório’ do Porto Canal a falar sobre o assunto.

Saúde Mental: Uma vida de diagnósticos e nenhuma conclusão | SIC

Compulsão alimentar, Hiperatividade, Perturbação Obsessiva Compulsiva, Síndrome de Asperger, entre outros. Estes foram só alguns dos diagnósticos que o Luís já ouviu, tudo isto desde os 5 anos. Hoje, adulto, ainda vive ‘preso’ no medo e na incerteza e a mãe no desespero de não saber como ajudar mais. O Dr. Pedro Brás esteve no programa da ‘Júlia’ a comentar o caso.

Depressão nos homens: dizer não ao estigma da Saúde Mental | SIC

José vive com Depressão há cerca de 10 anos. Já tentou vários especialistas e recorreu até à medicação mas nada ajudou… O Dr. Pedro Brás esteve n’O Programa da Cristina a comentar o caso e ofereceu um tratamento para que José possa superar todas as emoções que o bloqueiam.

Jéssica tem Ataques de Pânico desde os 3 anos | TVI

Jéssica tem 23 anos e sofre com Ataques de Pânico desde os três. Falta de ar, tremores e sensação de que vai morrer são alguns dos sintomas que sente diariamente. O Dr. Pedro Brás esteve no programa ‘A Tarde É Sua’ a comentar o caso e ofereceu um tratamento para que Jéssica possa finalmente ultrapassar todas emoções que a bloqueiam.

Suicídio: a perda que ninguém espera.. | SIC

O ator Pedro Lima faleceu aos 49 anos e tudo indica que se tratou de suicídio. O Dr. Pedro Brás esteve n’O Programa da Cristina a comentar o tema e confessa que é bastante comum que nestas situações as famílias fiquem “perplexas” uma vez que maior parte das pessoas que comete este ato “não dá sinais de que estão mal”.