"Vamos fazer tudo aquilo que está guardado na gaveta do «não tenho tempo»."

alexandra-pereira-foto-redonda

Desabafos de uma psicoterapeuta em Quarentena | Dia 10

Um dia Saint Exupéry disse que existem vitórias que exaltam, outras que corrompem. Derrotas que matam e outras que nos despertam… 

Perante todo este cenário mundial, as pessoas andam à toa, irritam-se mais facilmente, estão mais susceptíveis. Nesta altura é urgente termos bom senso e muita paciência. Todos nós somos diferentes, com sensibilidades distintas por circunstâncias várias. Nós não vamos conseguir mudar o “outro”, ele terá que aprender por ele. Então vamos respeitar a nossa sanidade mental e não entrar em conflitos desnecessários. Vamos aprender a potenciar o que cada um de nós tem de melhor. Somos responsáveis pelas nossas emoções, vamos aprender a geri-las um pouco mais. Vamos aprender a ser seletivos com aquilo que recebemos dos outros, a fim de evitarmos ciclos viciosos de desespero e falta de controlo. Todos sabemos que isto não acaba já amanhã, então vamos evitar procurar aquilo que nos atormenta. As notícias, porque não vê-las só uma vez por dia? O excesso de (des)informação inquieta. Vamos evitar conversas pessimistas, discussões e cara feia! 

Se há umas semanas todos nos queixávamos de falta de tempo, agora temo-lo! Vamos arregaçar as mangas e fazer tudo aquilo que está guardado na gaveta do “não tenho tempo”. Vamos viajar no sofá, pensar naquele destino que tanto queremos visitar e vamos aprender mais sobre ele… costumes, tradições. Se temos internet vamos por isso fazer bom uso dela. Vamos conversar com quem está em casa sem pressas, com tranquilidade. Vamos dizer aquilo que nunca tivemos tempo para o dizer, falar de tudo e de nada mas com carinho. Vamos falar com o coração, procurar no nosso dicionário interno todas aquelas palavras carregadas de beleza . Vamos colocar uma música e dançar. Nada como rir e divertir para reiniciar o sistema. Só temos que nos permitir!

Não se conforme com aquilo que já sabe… Agora tem oportunidade, abra-se a novidades que lhe acrescentem sabedoria e encham de alegria, mas fique em casa.

Comentários