"O ficar em casa e o teletrabalho começam a ser para mim o Novo Normal"

Desabafos de uma psicoterapeuta em Quarentena | Dia 33

8h00 – Acordo. Sinto que não dormi muito bem hoje. Acordei várias vezes durante a noite. Estranho, costumo sempre desligar rapidamente e dormir a noite toda seguida. Já li algures que uma das consequências negativas da quarentena é a alteração no padrão de sono. Só espero não ficar com insónias… Enfim… Vamos lá sair da cama.

8h30 – Tomo o pequeno-almoço, café e uma torrada. Deveria comer uma fruta em vez de pão… Era mais saudável… Amanhã talvez … Levanto-me da cadeira e sinto os olhares das minhas duas patudas a acompanhar cada um dos meus passos… «Agora não posso brincar convosco…» digo-lhes…

8h45– Arranjo-me, coloco perfume (verdade! nunca perdi este hábito), dirijo-me devagarinho, de pantufas calçadas até ao escritório, ligo o computador e … «Até logo, vou começar a trabalhar». 

9h00 – 17h30 – Os meus pacientes estão estáveis. Temos falado muito dos efeitos da quarentena, do stress da gestão dos horários; dos miúdos; das refeições… O isolamento vai deixando as suas marcas em cada um de nós…

Desde meados de março, basicamente a minha rotina é esta. Não vou mentir, por estranho que possa parecer, sinto-me confortável com este novo ritmo. O “ficar em casa” e o teletrabalho começam a ser para mim o Novo Normal. No entanto, é importante ter consciência de que, daqui por uma ou duas semanas, iremos novamente mudar o nosso ritmo de vida. 

Neste sentido, vamos continuar a aproveitar e desfrutar de cada momento… E quando surgir a mudança? Iremos adaptar-nos novamente… Viva cada dia ao seu ritmo…

Até amanhã,

Cécile

Comentários