"Este é o desabafo de quem está longe dos seus e sente o coração a apertar de saudade"

cecile-domingues-foto-redonda

Desabafos de uma psicoterapeuta em Quarentena | Dia 16

Nesta quarentena, com o passar dos dias, a saudade começa a ocupar uma grande parte do nosso coração. Queremos, cada vez mais, estar com as nossas pessoas e acredito que esta emoção é, e será, a parte mais difícil de gerir nesta pandemia. Hoje dei por mim a pensar em todos os sábados que passei antes de aparecer este maldito vírus. Por norma, hoje, estaria em casa dos meus pais, numa aldeia de paisagem singela, livre de qualquer preocupação, permitindo-me apenas respirar e sentir. Bem sei que não devo ser a única, certo?

Agora sim, compreendo e consigo sentir a famosa dualidade entre a razão e o coração. Por muito que se queira estar com quem mais amamos, por vezes, e neste momento, mais do que nunca, devemos ouvir a voz da razão. Está a chegar a época festiva da Páscoa e das suas tradições, mas este ano, por muito que nos custe, devemos todos aceitar e nos conformar que estar longe das nossas famílias é o mais correto!

Sim é difícil! Mas este vírus não é nenhuma brincadeira. Não é algo que acontece só aos outros, e nem tão pouco aos mais idosos. O que me custa mais é ver, todos os dias, pessoas que teimam em não respeitar as recomendações que nos foram dadas. O que é difícil meus amigos, é saber tolerar e lidar com a estupidez humana!

Esta minha partilha não pretende ser uma reflexão, mas simplesmente o desabafo de quem está longe dos seus e que sente o coração a apertar de saudade.

Cécile

Comentários