Depressão, a doença invisível | RTP

O impacto da pandemia na Saúde Mental em Portugal

Quando questionado sobre o impacto do confinamento na nossa Saúde Mental, Pedro Brás confessa que não sente que o isolamento obrigatório tenha provocado consequências particularmente nefastas. Afinal, estávamos todos juntos, estávamos todos no mesmo barco. Contudo, com o passar do tempo, com a necessidade de voltar ao ativo e, acima de tudo, com a constante incerteza  de quando voltaremos ao normal, começa a sentir-se alguma fragilidade emocional. Perturbações emocionais, tais como a Depressão, nascem precisamente destas fragilidades emocionais que temos de combater.

Depressão: como se trata uma doença invisível?

Ao contrário de uma perna partida, a Depressão não se vê. É uma doença psicológica muito limitante, quem dela sofre sente uma angústia inimaginável. Contudo, porque não se vê, por não ser uma doença física, ainda existe um enorme estigma. Por não falamos sobre o assunto, não falamos também em soluções e seguimos sempre a mesma linha: a do tratamento através de medicação. Atrevemo-nos a propor algo diferente, tratar aquilo que realmente nos causa esta dor profunda e não apenas os seus sintomas. Isso só a Psicoterapia consegue fazer.

Importa falar sobre o assunto, importa olhar para a Saúde Mental com outros olhos.

A angústia profunda por trás do suicídio

Qual a relação entre a Depressão e as tentativas de suicídio? Que angústia é esta que leva à morte? O Dr. Pedro Brás esteve no ‘A Nossa Tarde’ e falou sobre temas fraturantes da sociedade, falou sobre a importância de sensibilizar para a Saúde Mental. Afinal, que Angústia é esta e o que leva alguém a tomar a sua própria vida? Assista ao vídeo. 

A Nossa Tarde | RTP

Comentários