Ansiedade: Sofia superou os dias cinzentos e hoje é feliz | Testemunho

Não acontece só aos outros e um dia tocou-me a mim, no meio de uma pandemia a depressão tinha chegado e tinha vindo para ficar, numa fase que supostamente tinha tudo para ser feliz, grávida e com uma filha de 3 anos, só que não…

Vivo em França desde 2015, tomei essa decisão depois de ter finalizado um curso superior e não ter trabalho, emigrei, tinha chegado a minha vez, e estava tudo certo. Deixei tudo, deixei amigos, deixei família e juntamente com o meu namorado procurámos em França o conforto da estabilidade financeira.

Com muito esforço e trabalho conseguimos, tinha mais que algum dia tinha sonhado, uma filha linda de 3 anos, tínhamos saúde, casa própria em França, um marido super atencioso e grávida novamente, o que mais podia pedir? 

Nada, só que a ansiedade instalou-se, aos poucos fui perdendo as forças. Os problemas do passado estavam atormentar-me e sem pedirem permissão, de um dia para o outro não saiam da minha cabeça… o que achei durante anos que estava resolvido, afinal nunca tinha estado. 

Estar noutro país também teve as suas consequências, a distância é tramada e não sabia eu o quanto, senti-me perdida sem rumo, os dias pareciam escuros e sem sentido, a cama era o meu refúgio mas nem aí a cabeça descansava, não via fim à vista, para mim só havia uma solução, egoísta, percebi então, o que levava muitas pessoas a fazê-lo, era pedir a Deus para me levar porque pensar pensava, mas não tinha coragem para pôr fim à minha vida, é uma dor tão grande, que só quem passa sabe.

Quando vi que não estava a ter controlo, procurei quase de imediato uma psicoterapeuta em França, mas de nada adiantou, cada vez estava pior, até que, num daqueles dias tão iguais e cinzentos de olhos fechados e mão na barriga para tentar controlar a ansiedade, ouço num programa de TV o Doutor Pedro Brás a falar, captou a minha atenção, vi a luz ao fundo do túnel, pois se havia ajuda para aquele caso que mostrou na televisão, certamente também iria haver para mim.
Pesquisei logo na internet e vi que havia consultório na minha zona de residência em Portugal, fiquei tão feliz que liguei logo para a clínica para obter informações. Falei com o marido mal chegou a casa, ele voltou a ligar e propuseram a consulta diagnóstico logo para os dias seguintes. Chegámos à conclusão que era o melhor para mim e para nós enquanto família irmos para Portugal ter a tal consulta, pois estávamos todos a sofrer, tínhamos que encontrar uma solução.

Para terem uma noção do meu estado, nem as malas consegui fazer, para quem está longe não há nada melhor que fazer as malas para irmos ter com os nossos, não há nada melhor que regressar ao nosso país, mas não, a indiferença era tão grande, o cansaço era extremo que os sentimentos davam lugar a uma ansiedade severa.

Março 2020, esta data diz muito a todos nós, pois foi o início de uma grande pandemia. Estávamos a meio da viagem para Portugal e recebemos uma chamada da clínica, onde a Marta referia que para o bem de todos, as consultas presenciais tinham terminado por causa do vírus, até ver, ninguém sabia muito bem como se ia passar. Sugeriram online, tudo bem, aceitei claro, queria e buscava com todas as minhas forças, que não eram muitas, uma solução, mas quando desliguei, confesso que fiquei desanimada, com dúvidas que fosse funcionar.

Esta é a melhor parte da minha história, duvidei e duvidou toda a gente ao meu redor que ia conseguir bons resultados com consultas online, mas graças a Deus e à Doutora Milene Medeiros estávamos todos enganados.
Consulta após consulta os resultados foram sendo visíveis. Mesmo ficando em Portugal longe do meu marido porque as fronteiras tinham fechado sem data de abertura, tornou-se angustiante pois, não sabia quando podia voltar para o conforto da minha casa. 

A par disso, a vida parecia que não ia ajudando por causa do vírus, mas as consultas corriam tão bem, os métodos que a clínica utiliza mostravam resultados, que pouco a pouco ia renascendo, ganhando forças para continuar.
Em Junho, voltei para casa, para França, com receio novamente de voltar ao sítio que estava tão mal antes de partir, uma viagem cheia de medos e receios, mas não, mais uma vez tive a prova que o tratamento estava a dar frutos.

Continuámos com as consultas online, aliás o meu tratamento foi 100% online, e hoje já com o meu bebé nos braços, posso dizer que fiquei bem, ansiedade desapareceu, os dias escuros deram lugar a dias coloridos, tenho a família que sempre sonhei, sinto-me completa e realizada e feliz.

Posto isto, só tenho a agradecer a toda a gente que se cruzou no meu caminho nesta fase menos boa da minha vida. 

Um grande obrigada não chega para agradecer à Doutora Milene por todo o apoio, por toda a força que me foi dando ao longo de todas as etapas do tratamento, sempre disponível, conseguiu mais uma vez, como diz na sua ficha de apresentação da clínica que o seu objetivo era ajudar as pessoas a serem felizes, garanto-lhe que foi conseguido com muito sucesso.

Obrigada ao Doutor Pedro Brás, não o conheço pessoalmente, mas obrigada por fundar esta clínica e obrigada por me dar a conhecer a sua clínica na televisão, pois foi graças a isso que pelo menos a mim me salvou, como deve salvar muitas outras pessoas.

Obrigada à minha família que em Portugal tiveram um papel muito importante, foram eles que me apoiaram em tudo, no que diz respeito aos cuidados da minha filha e aos cuidados comigo.

E por último, um grande obrigada ao Luís, meu marido, que sofreu comigo ao longo desta caminhada, mas que nunca desistiu de mim e sempre me deu forças para continuar, mesmo estando longe em metade do tratamento.

Por último, quero deixar uma palavra a todas a pessoas que possam estar a passar por problemas psicológicos, não desistam nunca, há sempre solução, não cruzem os braços. 

Como é obvio, recomendo, recomendo muito a Clínica da Mente e ser consultas online não fez qualquer diferença, sou exemplo disso. Hoje posso garantir que se não estivermos bem psicologicamente, não estamos bem para nada nem para ninguém, não gostámos de nós nem de ninguém, toda a gente à nossa volta sofre. O importante e o primeiro passo é procurar ajuda com os profissionais.

Obrigada,
Sofia Almeida

testemunho-sofia-almeida

Identifica-se com alguns destes sintomas?

Rate this post

Comentários