Perturbações nas crianças e jovens

Perturbações mentais são todos os conflitos emocionais que a criança tem que lhe trazem infelicidade. Existem três fatores que condicionam o bem-estar mental da criança: Fatores Ambientais, Emocionais (distúrbios) e Biológicos.

Fatores Biológicos

A genética humana é semelhante entre os indivíduos. No entanto, nalguns seres humanos observam-se alterações genéticas que definem um padrão comportamental diferente dos demais. O cérebro, sendo um órgão do corpo humano, pode, em alguns indivíduos, desenvolver características diferentes.

Algumas crianças são diferentes no seu comportamento, por causa do seu diferente cérebro: estamos a falar dos jovens com Autismo, Asperger, Esquizofrenia, Demência, entre outras. Estas doenças do cérebro condicionam os comportamentos, desenquadrando a criança com o meio que a envolve, criando infelicidade e mau estar na criança.

Tratamento

O principal tratamento é aceitar essas crianças como diferentes, com características comportamentais próprias – mas crianças. Compreendendo a diferença e interagindo com as crianças respeitando as suas diferenças, estamos a criar crianças felizes. Não é isso que queremos? Crianças felizes?

Só nos fatores biológicos deverá ser admissível o uso de psicofármacos, pois nos casos de perturbações Ambientais e Emocionais, os psicofármacos apenas atuam nos sintomas, afetando a capacidade da criança de viver uma infância com energia e a vitalidade normal necessárias à correta aprendizagem.

Fatores Ambientais

A criança é um ser humano em formação. Ao longo dos seus primeiros 18 anos de vida, a criança apreende a cultura da sociedade no ambiente que a envolve.

Esta aprendizagem é fundamental para um correto enquadramento social. Só somos felizes se os nossos comportamentos não entrarem em conflito com a sociedade. Então, só a correta aprendizagem dos valores e crenças, ou seja, da cultura do nosso povo, nos deixa sentir seguros e integrados.

Por processos de aprendizagem errados, tais como a convivência familiar desestruturada, falta de disciplina, bullying e as mais diversas formas de violência e agressões, as crianças desenvolvem valores e crenças errados que os tornam diferentes dos outros, com comportamentos que os isolam da sociedade, que dificultam a integração social, criando conflitos internos como a Depressão, Ansiedade, Perturbações Obsessivo-Compulsivas, Fobia Social, entre outros.

Tratamento

Cabe aos tutores (pais, familiares e professores) mudarem as circunstâncias ambientais que levam à perturbação do jovem, quer seja mudar a atitude educacional como capacitando o jovem com uma estrutura emocional mais reativa, adequada ao ambiente em que ele vive. O tratamento psicoterapêutico é necessário na correção de estados já perturbadores.

Fatores Emocionais

Tal como os adultos, as crianças podem desenvolver comportamentos perturbadores do seu bem-estar mental, como os Ataques de Pânico, Pensamentos Obsessivos e Depressão por Angústia, como resultado de distúrbios emocionais. Um distúrbio emocional acontece quando há uma má perceção da experiência que se vive. Estes erros de entendimento sobre o que sentimos podem levar a um distúrbio mental, em que sentimos sensações de mau estar contínuas sem razões aparentes, como a Perturbação Cíclica da Ansiedade (Ataques de Pânico) ou a Perturbação Cíclica da Angústia (Depressão por Angústia).

Tratamento

Intervenção Psicoterapêutica adequada na mudança de perceções das experiências vividas.

Então, como abordar as perturbações emocionais das crianças?

O jovem é acompanhado por um terapeuta da Clínica da Mente que vai usar uma maneira especial e única de conseguir que o paciente ultrapasse as dificuldades e os problemas por que está a passar. Para isso, vai utilizar o Modelo Psicoterapêutico HBM, que recorre a técnicas de psicoterapia que permitem saber como e porque é que o jovem está neste estado de emoções, ou seja, as causas das suas dificuldades. O terapeuta vai ajudar a que se liberte dos seus Medos e Angústias, daquilo que o faz ficar ansioso, triste e ter vontade de chorar. O Modelo Psicoterapêutico HBM funciona como um GPS na Mente dos pacientes, o terapeuta vai à emoção que está associada ao problema e a provocar a infelicidade e ajuda-os a vencer e ultrapassar essa dificuldade da qual não conseguem sair sozinhos. Em pouco tempo, a criança ou adolescente vai perceber que as experiências de dor e de Medo que bloqueavam a sua Mente já não representam nada para si, já não mexem consigo. O terapeuta ajuda também a família da criança a compreender o que se está a passar com ela e a ajudá-la melhor. O melhor de tudo é que, para voltar a ser feliz, o jovem não precisa de tomar comprimidos ou de ficar internado.

 

O que é a Psicoterapia HBM?

 

A Psicoterapia HBM é um método de tratamento muito rápido e seguro, que usa técnicas psicológicas, validadas cientificamente, para mudar comportamentos, sentimentos, pensamentos ou hábitos que afetam a saúde mental das pessoas. A Psicoterapia HBM utiliza as técnicas de Morfese e Athenese baseadas na Hipnose Clínica e na Programação Neurolinguística, para uma intervenção mental mais rápida e assertiva.

Com recurso às técnicas de Psicoterapia HBM, encontram-se as causas e origens dos problemas emocionais que condicionam as pessoas no seu dia-a-dia, prejudicando a sua felicidade e bem-estar, promovendo-se as mudanças necessárias a uma verdadeira recuperação. 

A Psicoterapia HBM funciona como um GPS que percorre o Mapa da Mente e ajuda o Psicoterapeuta a descobrir a origem emocional do problema que provoca a perturbação, conduzindo o paciente a vencer e ultrapassar as dificuldades que condicionam todo o seu estado mental, sem recurso a medicação.

 

Como a Psicoterapia HBM pode ajudar no combate às perturbações das crianças e jovens?

 

Através de um processo de tratamento cuidadosamente estruturado e adaptado a cada caso, as crianças e jovens conseguem entender, aceitar e gerir as suas emoções, comportamentos e pensamentos, encontrando o que os torna tristes ou ansiosos e, acima de tudo, o que os torna felizes e os prepara para uma vida intensa.

O grande objetivo da psicoterapia é reencontrar o equilíbrio emocional e para isso este método de tratamento ajuda a criança ou o jovem a:

Identificar os eventos que originaram as dificuldades e perturbações da criança e do jovem e ajudá-los na libertação emocional dessas memórias perturbadoras;

Conseguir fazer a gestão emocional das questões do passado que ainda hoje podem condicionar o seu dia-a-dia, tais como episódios de violência, conflitos em casa ou na escola, mortes ou outras perdas, traumas ou dificuldades no contexto escolar;

Encontrar mecanismos para a ajudar a adaptar-se a novos desafios;

Melhorar as capacidades de comunicação e a qualidade das suas relações interpessoais;

Retomar o controlo da sua própria vida e da sua paz interior.

Artigos recomendados

 

Saúde Mental

Há um excesso de diagnósticos de PDAH e com isto, ou, por isso, uma medicalização desnecessária.

Saúde Mental

Neste ritmo de vida alucinante que levamos, deverão ser as crianças a acelerar ou os pais a abrandar?

TV & Imprensa

A Inês tem 16 anos, é luso-descendente, vive no Luxemburgo. Conheça na primeira pessoa o seu testemunho de superação de experiências de mutilação, medicação, dor, solidão.