Dra. Cécile Domingues

Psychologist

Senior psychotherapist

Master in Psychology

Psychologue

Psychothérapeute

Licence en Psychologie

Spécialisé en Psychogériatrie

Spécialiste Sénior en HBM Therapy

Spécialiste Sénior en Athenese® et Morfese®

Investigatrice de la Master HBM Research

Courriel Ceciledomingues@clinicadamente.com

Perfil

“Sempre tive curiosidade em compreender o comportamento humano. O porquê de sermos como somos, quem nós somos, o que nos move e o que nos distingue uns dos outros."

Todo o meu percurso académico foi orientado para, de certa forma, ter este entendimento. Contudo, sentia que por vezes, as respostas aos meus porquês eram muito abstratas…

Desde que trabalho na Clínica da Mente, consegui obter estas respostas através da abordagem HBM: somos o produto de todas as experiências que vivemos; somos a nossa personalidade, o reflexo das nossas experiências, crenças e valores; e o que nos move dia após dia é a nossa busca incessante em alcançarmos um estado de equilíbrio e assertividade, em suma em sermos felizes. Estas foram as minhas respostas.

O meu objetivo enquanto psicoterapeuta é ajudar cada pessoa a alcançar o seu bem-estar, o seu equilíbrio, sentindo-se livre para percorrer o seu caminho de forma assertiva.

Um dia, perguntaram-me se me recordava de uma história de vida que me tinha marcado. De facto, dei por mim a pensar durante algum tempo nesta pergunta, e, o que eu acho é que todas as histórias que ouvi até agora me marcaram… não pela história em si, mas pelo sofrimento que as pessoas carregam.

Todas as pessoas que decidiram sentar-se à minha frente partilham comigo mais do que uma história pessoal, partilham emoções negativas intensas que as têm limitado na sua busca da felicidade. Assim sendo, não consigo dizer qual a história mais marcante… Mas consigo recordar-me, do sofrimento que as pessoas carregavam por causa de pensamentos obsessivos que não queriam ter, do peso das emoções negativas, das lágrimas, dos olhares pesados, das angústias, dos comportamentos de desespero que trazem com na primeira sessão de avaliação. Recordo-me também dos progressos observados no decorrer das sessões, quando as emoções se vão dissipando, diluindo-se num passado que já não magoa. Lembro-me da sensação de gratidão que as pessoas me transmitem no final da intervenção terapêutica, dos olhares de serenidade, da tranquilidade que as pessoas dizem ter alcançado, dos gestos e dos abraços.

Enfim, se tivesse que recordar uma história de vida que me marcou… optaria por recordar esta história, este processo comum a todas as pessoas, que decorre diariamente nesta clínica, um processo de desenvolvimento pessoal, em que as pessoas lutam para alcançar um equilíbrio emocional.”