Dra. Isabel Gomes

Psicóloga

Psicoterapeuta Sénior

Licenciatura em Psicologia

Mestrado em Aconselhamento Dinâmico

Pós-graduação em Psicoterapia Psicanalítica

Supervisora em Psicoterapia HBM

Supervisora em Athenese e Morfese

Investigadora Master HBM Research

Contacto: isabelgomes@clinicadamente.com

Quem sou

Se há dois verbos que me fascinam, eles são o "compreender" e "ajudar".

Ainda antes de fazer escolhas profissionais, desenvolvi o gosto pela escuta, pela observação, pelo pensamento... E tudo isso levou a ressonâncias cá dentro, a novos entendimentos e novas curiosidades. Tornou-se inevitável encetar pelo caminho da psicoterapia. Por aqui é diário o desafio de poder ajudar as pessoas a caminharem mais livres (dos condicionamentos emocionais do passado) e confiantes em si mesmas. Redescobrindo-se... A serem felizes!

Através do Modelo Psicoterapêutico HBM, essa ajuda tem uma maior eficácia e a mente humana apresenta-se com maior simplicidade.

São diversos os quadros clínicos que me prendem em busca de um entendimento. Uns pela complexidade, outros pela intensidade, outros pelas limitações. E se em quase todos existe uma espécie de não reconhecimento de si (pelas limitações), outros há em que, de há tanto tempo se terem instalado, criam o reconhecimento de si... e poucas vezes são o principal pedido de intervenção. Falo de fobias específicas.

A fobia específica é um estado mental e físico causado pelo medo acentuado e persistente que se tem de determinada situação ou objeto, claramente discernível e circunscrito. Estamos num estado fóbico quando a ansiedade sentida é excessiva em relação ao perigo real, que determinada experiência ou exposição representa. O estado fóbico instala-se através de uma experiência traumática passada, cujas emoções associadas são muito negativas. Normalmente surgem na infância e perdura ao longo da vida.

Como especialista da Psicoterapia HBM, o meu papel é ajudar as pessoas que estão neste estado a redimensionarem o medo ao objeto ou situação [a noção de probabilidade/gravidade dos eventos que criam estas fobias estão erradamente elevados], para isso, é necessário dissociá-los destas experiências traumáticas do passado e que ainda hoje as perturbam e condicionam. Dessa forma, conseguem distanciar-se emocionalmente destes factos, encontrando o seu equilíbrio emocional.

E a normalidade limitada, com que desde há muito convivem, vai, sessão a sessão, abrindo caminhos mais largos de liberdade e segurança. Passando a viver coerente e congruentemente perante as situações anteriormente fóbicas, que sempre desejaram e que as nossas técnicas possibilitam.

Ser parte da equipa da Clínica da Mente é estar mais preparada, com as técnicas e o conhecimento. É poder pensar diferente, para fazer melhor.