Automutilação | Queridas Manhãs

Automutilação

O que leva alguém a fazer mal a si próprio?

Por PEDRO BRÁS

Pequenos cortes com lâminas, facas ou vidros e até queimaduras em diversas partes do corpo são algumas formas de automutilação. Este comportamento autodestruidor e aparentemente incompreensível tem o objetivo de provocar dor física imediata para atenuar a dor emocional. Assista aos testemunhos de duas pessoas que vivenciaram, na primeira mão, o drama da automutilação, e a explicação de Pedro Brás, da Clínica da Mente, no Queridas Manhãs .

Queridas Manhãs | SIC

O testemunho de Antónia | Mãe de Catarina 

Alguns meses depois, com a ajuda da Clínica da Mente, a Catarina está numa nova fase da sua vida e sente-se muito melhor. A mãe Antónia fala-nos com o coração:

Sorrir será sem dúvida o melhor remédio…

E tu estás de novo a aprender a voltar a fazê-lo… Aos poucos e poucos esse teu sorriso torna-se real, não um sorriso falso que muitas vezes esboçavas para aparentares perante os outros que estavas bem… Mas não, não estavas, apenas “vestias aquela capa”, estavas no fundo, estavas fechada na tua tristeza, na tua angústia, no teu desespero, prestes a desistir de ti e de nós…

Maldita doença que se apoderou de ti, de nós, da nossa vida e da nossa família… Nunca pensei em desistir de lutar por ti… Por nós, mas estava a entrar em desespero de não conseguir, de não te voltar a ter de novo, de não te ver sorrir, com aquele sorriso verdadeiro…

Antónia e Catarina Prates felizes com a ajuda da Clínica da Mente

Felizmente, alguém tentou ajudar-nos nesta luta… Clínica da Mente… Obrigado não chega para agradecer o que fizeram… Obrigado por nos terem ajudado a voltar a colocar um sorriso no rosto da minha filha, por a terem feito acreditar que vai ser capaz, de a ensinarem a lidar com os receios, os medos e as fobias… Por a fazerem acreditar que essencialmente viver vale a pena… Que também existem dias de sol e não só dias escuros e cinzentos… Que é bom sair de casa, e saber voltar a amar, a ela própria e aos outros… fizeram-na perceber que se deve seguir em frente e é apenas o caminho certo… tudo isto eu tentei fazer mas sem sucesso… Obrigado Dra. Catarina Ferreira por tudo, obrigado Dr. Pedro Brás, à Clínica da Mente, a todas as pessoas que nos últimos anos nos têm apoiado, à família pela vossa ajuda… Hoje em dia ainda existem muitos dias cinzentos, mas são esses dias que fazem a Catarina Prates perceber que os dias de sol também existem… Minha filha, Desejo que continues a sorrir sempre com um sorriso verdadeiro estampado no teu rosto lindo, mas essencialmente vive a vida intensamente com um sorriso na tua mente e no teu coração… Obrigada.

Texto escrito e gentilmente cedido por Antónia Prates

Comentários